segunda-feira, 14 de agosto de 2017

mundos paralelos

Tem certas coisas que sempre são engraçadas pra mim, como por exemplo a conversa que eu tive com uma amiga do período universitário.

Estávamos, ela e eu, tomando café e lembrando dos anos 90, quando o papo chegou sobre o tempo da faculdade (medicina pra ela e publicidade pra este senhor que escreve aqui). Conversa vai, conversa vem e como em tudo que falo, começo a fazer piadas sobre os perrengues da vida universitária.

EU - lembra o caos que era pegar o ônibus "Bombeiros-Universidade" lotado e ir meia hora exprimido num bus velho?
ELA - o pai tinha me dado um carro quando eu passei em medicina. Nunca fui de ônibus pro campus.

E a conversa continua até o momento que eu falo sobre comer na UFSM.

EU - baaah, e tinha dias que era um horror a comida do RU. A carne era dura, a salada parecia que não tinha sido lavada, o  bandejão era mais amassado que Chevette Tubarão e pra beber era leite em temperatura ambiente.
ELA - eu vinha de carro pro centro, almoçava e depois voltava de tarde. Nunca comi no RU.

Aí eu olhei pra ela:

EU - tá, mas a gente era amigo e andava junto como se nunca se via.
ELA - porque toda sexta a gente tava junto, bebendo no DCE.

Daí eu lembrei... ah... o DCE... quanta merda eu fiz nas noites de sexta em Santa Maria na boate do DCE. 

  

domingo, 13 de agosto de 2017

dia dos pais e redes sociais

Pois então... é domingo do dia dos pais, escuto a discografia do Talk Talk, e me paro a pensar em como as pessoas são chatas. Mais chatas do que eu até.

Por que falo isto?

Vejamos, vamos falar sobre o dia dos pais, poderia até ser outra data comemorativa, mas vamos por hoje mesmo. 

Dia dos pais significa muitas mensagens de felicitações, lembranças e saudades nas redes sociais. Beleza, poderia ficar por aí, mas ao mesmo tempo que vemos as pessoas exporem seu amor para seus pais publicamente (o que não faz o meu perfil hoje em dia), surge também os censores e fiscais do mural alheio.

O que acontece daí?

Comentários sobre quem é ou não é pai, como deve ser um pai "de verdade" (não me perguntem o que significa), mãe que é pai, pai que não é pai, pai que é mãe e coisas do tipo.

A coisa é tão absurda que se alguém resolver colocar que tem um cachorro (podia ser uma vaca, um cabrito, etc) e se acha pai pois cuida do bicho, a polícia do Facebook vai entrar em alvoroço e começar a campanha de que pessoas assim não sabem o que dizem por nunca terem tido filhos ou que estão comparando a criança com o cachorro (nota do escriba: alguns animais são muito mais queridos e educados do que crianças).

Sendo assim, só posso falar uma coisa: se tu tem filho ou não, se é um bom pai ou não, se é carinhoso ou não, se tem um filho ou um cachorro... o problema é teu e de mais ninguém, então, deixa cada um comemorar da forma que quiser e cuida só da tua vida.

Moral da história: vai tomar no teu cu e não te mete na vida dos outros.

domingo, 6 de agosto de 2017

como falar com as pessoas no brasil

Como o Brasil está mudando, avançando para um novo patamar de ignorância, mediocridade, preconceito, ganância e corrupção, devemos todos nos adaptar para estes novos tempos. 

E a nossa mudança começa já pelos termos que usamos e que já estão defasados.

Sendo assim, Nixon Vermelho apresenta um glossário para você se adaptar ao novo Brasil varonil!

  1. filho de desembargadora - pessoa contraventora que comercializa drogas ilícitas, vulgo, traficante;
  2. filho-da-puta - político de qualquer partido;
  3. esquerdopata - pessoa que acredita que apenas o PT fala a verdade e que Lula é Deus;
  4. vampiro - presidente da república;
  5. golpista - presidente da república;
  6. Neymar - medida de valor de compra (ex.: "gastei dois Neymar para comprar todo congresso);
  7. cego - torcedor de partido político;
  8. limitado - filiado de partido político;
  9. coxinha - pessoa que acredita que a revista Veja é séria;
  10. vendido - juízes, promotores e desembargadores brasileiros.

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

o sepulcro é seu melhor cartão de amor

Ler este texto ao som desta bela canção.
Existe algo errado em minha cabeça, em meu ser e apenas você pode me responder... por que é tão duro sentir?
Por favor me escute, pois já estou assustado e só penso no frio da lâmina em sua carna quente.
É tão duro sentir, mas é tão bom saber que seu corpo pode ser só meu. Mesmo com a dor, mesmo com o vazio da alma e da vida, seu corpo será só meu, enterrado no porão da nossa casa de paredes brancas e amarelas, onde as flores amanhecem sempre nos primeiros raios da primavera.
O sacrilégio de corromper a carne é perdoado pelo amor dolorido de sermos um só divididos em dois corpos.
Ninguém entende o meu excesso de amor... minha paixão sem fim, mas você sabe que seu sacrifício valerá a pena.
Eu entendi no seu primeiro olhar, quando sentou na minha frente e perguntou meu nome, que era você a mulher digna para sentir a minha fome e o meu desejo.
O primeiro corte nos banhou com seu sangue e gozamos juntos no exato momento de sua última respiração.

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

apropriação cultural

Sobre apropriação cultural:

Vou usar cabelo moicano (indígena), enrolar um Shemag (palestino) no pescoço, vestir um kilt (escocês) e não estarei ofendendo ninguém. 
Se você se sentiu ofendido, me fala os motivos que estou de boa pra ouvir. Não mudarei meu modo, mas respeitarei a sua opinião.

meu mau humor com carros

Todo mundo sabe que eu não dirijo e que fico muito irritado no trânsito, mas mesmo assim, como em tudo na minha vida, eu analiso e comento sobre coisas que nem precisaria opinar.

É por que falarei aqui sobre os carros que são mais fodidos e que me irritam por estarem ainda andando pelas ruas.

  1. qualquer carro francês (Renault, Peugeot, Citroen) é feio e parece ter sido desenhado por um tiozinho na WWII;
  2. Toyota Corolla é carro de vovô que não sabe nem andar no trânsito e fica atravancando a rua;
  3. Golf é carro de magal que escuta sertanejo universitário bebendo em posto ou traficante pobre;
  4. Fuca era um carro simpático, sim... era... na década de 60, agora ele pode sair das ruas e ficar no museu do automobilismo (escondido atrás dos carros bons);
  5. Lifan, Chery, JAC, Toyota, Honda, KIA e Hyunday só servem pra demolição.
Shelby Cobra... isto é carro!

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

por um mundo mais radical e violento

Hoje ocorreu - na verdade está acontecendo enquanto escrevo - a votação de denúncia contra o presidente Michel Temer, e por causa disso tuitei um daqueles comentários radicais que sempre faço no Twitter @nixonvermelho.

Aproveitando isso, resolvi colocar algumas sugestões deveras pouco ortodoxas que melhorariam o mundo, ou, no mínimo, a minha vida:
  1. assassinar todos os políticos;
  2. assassinar toda pessoa filiada em algum partido político;
  3. proibir que pessoas com mais de 65 anos dirijam (isso ia melhorar o trânsito em uns 50%);
  4. liberar o uso de qualquer tipo de droga;
  5. liberar o porte de arma.